Novidades por e-mail

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

O medo do novo

Trabalho na área comercial a um bom tempo. A mais tempo ainda estou atuando na área de educação Corporativa.
Vez por outra me deparo com profissionais que atuam na educação tradicional. Raro os que não possuem resistência a mudança.

Muitos destes afirmam de pés juntos que educação mediado por tecnologia não funciona. Que o melhor método de aprender é presencial.

Saibam meus amigos que de 5% a 8% da aprendizagem se dá em sala de aula, utilizando métodos formais, 95% a 98% se aprende de forma informal. 

Um bom exemplo:
Quando você está fazendo uma busca no google, e encontra a informação que você precisava, lendo vários textos cria mentalmente uma compilação conseguindo colocar em prática algo que antes não conseguia. 
Você aprendeu sozinho, sem ninguém te ensinando. Sem sala, sem professor, sem palestra. Por este motivo gosto muito de usar a palavra Aprendizagem Mediada por Tecnologia e não e-Learning.
em fim:
Resistentes a mudança, não se frustrem. O mundo vai mudar vocês querendo ou não. O mundo não para só porque você não acredita. Estudos são realizados, pesquisas provam novos conceitos. 
O mundo do novo é um mundo fantástico, tudo há para explorar e aprender.

Escutei uma frase que é um pouco disto: "para ficar no mesmo lugar é necessário correr hoje em dia, os que realmente correm já estão voando"

As empresas que não evoluírem irão ficarão para trás. 

Como está a sua Empresa?  Já possui um plano para 2009? Algo novo? 
Você e todos os seus vão ficar parados com medo da mudança? 

Pense nisto.... e comente este post..

Grande abraço

Cássio Lacerda

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Como treinar a geração Y

Muito se tem dito sobre a nova geração, a tal Geração Y. Algumas perguntas escutei de alguns clientes: 
- Como treinar esta nova geração se eles não gostam dos métodos tradicionais de aprendizagem? 
- Como reter este jovem talento que busca desafios, se a minha organização não tem este perfil? 
- Como alguém consegue escutar música, televisão, atender o celular e ainda falar

Assim, fizemos alguns estudos sobre este tema, acompanhe:

Qual o perfil da Geração Y?

o   Nascidos a partir de 1985 – começam a entrar no mercado de trabalho.

o   Convivem desde o nascimento com jogos digitais e Internet.

o   Convivem muito bem com a tecnologia – gostam de utilizá-la.

o   Participam de comunidades virtuais. É a principal base de comunicação com amigos (não é o e-mail !).

o   Muitos possuem blogs ou páginas na Internet.

o   O tempo com foco em um assunto específico é menor que aquele da geração Baby-boomers (“minute attention span”).


Como a Geração Y aprende? O que os motiva a aprender:


Mito:
uma vez que a Geração Y convive desde o nascimento com jogos (games), uma forma natural de aprendizagem seria utilizar jogos.

Falso: Não necessariamente. As pessoas da geração Y gostam de se divertir em jogos eletrônicos mas não necessariamente de aprender desta forma.

Mito:
trabalho colaborativo é a forma natural de alcançar a participação de pessoas da geração Y.
Verdade: eles estão habituados a ambientes colaborativos e esperam encontrar este tipo de ambiente no mundo profissional.

Mito: o maior amigo da geração Y para aprender é o computador.
Falso: embora utilizem o computador  com intensidade para diversas tarefas, esperam que um determinado treinamento ofereça diversas situações práticas. Eles querem “por a mão na massa”.

Mito: a geração Y considera que as pessoas mais experientes (Baby-boomers) não servem como fonte de conhecimento por estarem ultrapassadas, obsoletas.
Falso: a geração Y respeita e admira profissionais sênior – valorizam do conhecimento adquirido por esses profissionais e querem aprender com eles (coaching). Acostumada com informação instantânea e feedback  

Quais as formas que um programa de aprendizagem deve ter para conquistar insivíduos da geração Y?

o   Utilize tecnologia.

o   Varie as formas de treinamento – utilize soluções “blended”.

o   Utilize ambientes de colaboração: fóruns de discussão, Chat, blogs, wikis.

o   Disponibilize website para exploração de matérias complementares, FAQs, links de interesse, podcasts etc.

o   Garanta que as lições (síncronas ou auto-conduzidas) sejam curtas, rápidas (15 min?)

o   Garanta feedback rápido.

o   Realize trabalhos em grupo.

o   Realize trabalhos práticos (mãos na massa).

o   Evite ensinar o caminho utilizado para concluir o trabalho. Forneça o escopo e objetivos a serem alcançados e deixem que eles busquem o caminho.

o   Envolva profissionais sênior no acompanhamento dos grupos.


Em resumo, criar algo desafiador, trilhar de aprendizagem interativas, que dispertem o interesse dos novos aprendizes. Nada de palestras com ppt no formato antigo, nada de e-learning tradicionais.

Para fechar quero registrar uma realidade que é melhor todos perceberem:

Quem nasceu nesta geração, em 2015 terá 30 anos, no cume da carreira profissional. Isto acontecerá, e não se assustem daqui a 6 anos.

Sua organização já pensou nisto? Você já parou para pensar nisto? 

Procure profissionais para lhe ajudar nestas questões.

Por favor, comentem o que acharam deste post?

Grande abraço,

Cássio Lacerda

Abraço, 
Cássio Lacerda

Um modelo a ser seguido ( Dona Graça )

Meus filhos queridos,
Que coisa bem desagradável voçês estarem sem internete e telefone, parece que um muro se ergue e atrapalha a nossa comunicação.
A TV não para de mostrar a tragédia das chuvas. Felizmente consegui ativar e mobilizar muitas pessoas para um mutirão de solidariedade não apenas de materias concretos:roupa, alimentos, remédios, brinquedos, mas grupos da área de saúde mental para que ouvirem, escutarem a dor de toda esta gent. É claro que não poderão ouvir um por um, mas ao menos fazerem palestras e conseguirem simbolizar a dor deles, fazê-los escrever narrativas de tudo que estão sentindo, colocarem para fora o medo que paraliza e mostrar a essas pessoas que elas têm sim a oportunidade de conseguir reconstruir os cacos que sobraram em suas almas.
Graças a Deus que existe a internete, sem ela não poderia fazer absolutamente nada, tendo em vista que minha presença é necessária em casa para cuidar de paciente familiar com agravamento progressivo em sua doença.
Vivemos uma enchente em Blumenau, mas esta é a maior catástrofe de todas, pior que todas as outras -(oitenta mil pessoas desabrigadasque perderam suas casa e pessoas da família, perderam tudo)
Não podemos nos calar perante tamanha dor, somos sim responsáveis uns pelos outros.
Ontem vi em São Paulo um show SOS SANTA CATARINA, pensei que o Neno poderia fazer o mesmo A TV Cultura, Rede Record e outras tantas emissoras estão fazendo o mesmo. Recosntruir a vida de milhares de pessoas.
Ninguém pode ficar fora disto, doem qualquer coisa, seja lá o que for: UM PAR DE MEIAS que seja, mandem junto bilhetes dizendo enternder o que as pessoas estão passando e que não podem perde a esperança.
"Nem só de pão vive o Homem"- o ser humano é um animal que necessita simbolizar emoções e sentimentos, sonhos, desejos e principalmente a DOR.
Falem com colegas e amigos, digam que não estão indiferentes e que todos preciam mostrar que pertencem à Raça Humana.
Ajudem o povo de Santa Catarina, o cartão postal do Brasil que chora a dor dos catarinenses vítimas da tragédia das chuvas.
O tempo continua feio, às vezes aparece sol mas a chuva volta a  castigar às terras de Santa Catarina.
Todos os meus ex-alunos estão fazendo um trabalho voluntário, quem não pode e não tem tempo para colocar suas disponibilidades a seviço, podem sim doar alguma coisa e escreverem um a mensagem.
Não fiquem fora, participem de alguma forma, cada um  faça o que pode, mas faça.
um beijo no coração    mãe
PS: O que combinei com voçês por telefone, pretendo fazer. Aguardem    bjs  mãe

Tragédia no Sul do País

O que podemos fazer? 

As vezes a natureza se zanga com o mundo e devasta algumas partes do planeta.

Em 26 de dezembro de 2005, aproximadamente 4 anos atrás, uma tragégia apresentada pela natureza. O Tsunami na Indonésia mata mais de 150 mil pessoas. 

Em novembro, mês que acabou de ser finalizado a tragédia em Santa Catarina deixa mais de 80 mil desabrigados.

É sabido que existem forças que não podem ser controladas, mas porque nossos governantes não resolvem alguns problemas já conhecidos. 
Em 1984, em Blumenau houve uma das maiores enchentes da região, eu estava lá gente, eu era criança e vi a desgraça da população. Porque os governantes federais e estaduais não solucionam tais problemas. É possível basta um pouco de vontade. Porque não abrir uma vazão do Rio Itajaí até o mar e acabar com este problema de uma vez por todas? 
Não bastando a enchente os desligamentos de terra são sem sombra de dúvida o assunto que mais atrapalha nestes momentos difíceis.
Somos um povo solidário, já ajudamos e vamos ajudar todos os necessitados a reerguerem suas vidas.
Meus sinceros votos de esperança, pois tudo há de se resolver.
Todos vocês estão em minhas orações, estou colaborando a distância como posso.

Aos meus amigos do sul, muitos amigos por sinal. Força e honra! tudo voltará ao normal.


Abraço,
Cássio Lacerda

Receba novidades por e-mail

Seu e-mail:

Provido por FeedBurner